Travesti Feminina Novinha Gostosa

Travesti Feminina Novinha Gostosa

Travesti Feminina Novinha Gostosa

A medida que ele bebia ia se soltando mais e perdendo um pouco da timidez, Lia perguntou se ele se sentia muito só, ali no sitio sem uma companhia feminina, Seu Pedro respondeu que sim, mas que já estava acostumado.

Desde quando eu era bem novinha, que comecei a me tocar, nas minhas partes intimas descobrir o que era sentir prazer, ai eu comecei a usar roupas curtas, para me exibir e mostrar todo o meu potencial feminino, deixando os meninos loucos de tesão por mim e foi num final de semana com feriado prolongado, que os meus pais foram viajar e para não ficar sozinha, eu fiquei na casa da minha irmã Mara, que era a irmã do meio, como eu só usava roupas curtas, acabei provocando o seu marido ao ponto de deixa ló doidinho por mim. Hoje somos muito felizes porque eu continuo dando como sempre e ele feliz por ter uma puta em casa, e até diz que mulher gostosa e melancia não dá para comer sozinho!…rsBem não tinha muita experiência em saber ao certo o que era o orgasmo, sempre gostei do entra e sai porém ficava me perguntando se era só isso , tive algumas relações e por diversas vezes tive que fingir que tinha chegado ao orgasmo mesmo não sentindo nada. Quando chegamos a minha casa n estava nng o que era perfeito prar nos.

Aproveitei e comprei também um creme lubrificante a base de água, práprio para lubrificaçao anal, quando entrei no quarto minha mulher estava se divertindo chupando uma pica deliciosa e sendo chupada na bucetinha, não me contive e pedi pro travesti enfiar na buceta dela(depois minha muher me ontou que já havia gozado no cacete do travesti antes de minha chegada), minha mulher ficou de quatro e o travesti enfiou tudo na bucetinha dela enquanto eu lubrifiquei seu cuzinho e meti tudo nele.

Dali a pouco ela chega, nua, balançando os seios já enxutos.

La pelas tantas, já com muito champanhe na cabeça, estamos todos altinhos e dançando, esperando a “virada” do ano e dança vai, dança vem, meu amigo no auge da empolgação, me propôs “na lata”: “meu amigo, que festa fantástica…vamos trocar de mulher? ” Aquela proposta, me pegou completamente desprevenido e fiquei sem resposta.